La Página de los Cuentos
Tu comunidad de cuentos en Internet
[ Ingresa
|
Regístrate ]

Menu
Home
Noticias
Foro
Mesa Azul
Eventos
Enlaces
Temas
Búsqueda

Cuenteros
Locales
Invitados


Inicio / Cuenteros Locales / hibrida / TU, O TEMPO E EU (Série Prosa Poética)

 Imprimir  Recomendar
  [C:541423]

Tal qual andarilho vago pelas estações do tempo buscando-te!

No verão o sol e o mar lembram-me que vivi sonhos em uma realidade em que eu poetava a vida, onde estavas contido em cada estrofe dos meus versos, se com alguma não rimavas, usava de todas as licenças poéticas e cômodo em minhas inspirações te encaixava Gratidão aos teus abraços ternos, onde segurança eu respirava.

Hoje sol, mar e verão com todos os seus encantos, entretanto, deixaram de ser estribilhos dos meus versos, já não se agregam às minhas canções, volveram-se em rimas sem alma Já não rola! Soam apenas como refrão dos canais da televisão.

Quando então, o tempo e eu mudamos a sintonia nos indo aos jardins de outono, ali, em minhas reflexões por horas fico observando o quanto de folhas pelo chão, de todos os tamanhos e cores espalhadas ao sabor da própria sorte Reconheço-me nalgumas delas..., sem rumo, sob intempérie, quase sem vida, vagando pelas estações, querendo te encontrar;

Nos tons do inverno, como o próprio tempo no seu declínio gradual, vibra bem pouco meu coração, sou só um nada num muito de lembranças Sou ai, acúmulo de saudades,

Sob o céu nevoento precipitam-se minhas lágrimas, de imediato capturadas pela chuva - É a vida no exercício de suas funções Penso!

E quanto mais penso e repenso - Pouco a pouco volto aos tempos das minhas alegrias onde eu cantava e sorria Leve e fagueira correndo pelas valas inundadas do tempo;

Revitalizando, ainda que aos pouquinhos, minhas esperanças ao sopro do vento que balouça as acácias, que encrespa as ondas dos mares, e meus cabelos de morena, levando ou trazendo os aromas da primavera, predispondo-me ao próximo verão Talvez, quem sabe...

Por enquanto, sou o agora Um misto de cansaço e amor, buscando por ti nas estações do tempo Quiçá acabe, também, por me encontrar, nalgum desses viés.

Texto agregado el 05-05-2014, y leído por 72 visitantes. (1 voto)


Lectores Opinan
2014-05-17 22:45:09 ¿Tú eres una mezcla de cansancio y amor, buscandolo en las estaciones? Las estaciones, que te han buscado a tí, ya te han encontrado en tus hermosas letras. Yo también.+++++ crazymouse
 
Para escribir comentarios debes ingresar a la Comunidad: Login


[ Privacidad | Términos y Condiciones | Reglamento | Contacto | Equipo | Preguntas Frecuentes | Haz tu aporte! |
]