La Página de los Cuentos
Tu comunidad de cuentos en Internet
[ Ingresa
|
Regístrate ]

Menu
Home
Noticias
Foro
Mesa Azul
Eventos
Enlaces
Temas
Búsqueda

Cuenteros
Locales
Invitados


Inicio / Cuenteros Locales / hibrida / O FANTASMA FORASTEIRO (crônica)

 Imprimir  Recomendar
  [C:397551]

Viandante da noite, a perambular por entre a multidão que se compraz nos festins da vida.

Sem pertencer a nenhuma opera, assim, não assombra ninguém. Carregando consigo em seus alforges algo de débil e muito de anônimo.

Absorto e entretido nos cardeais, ida e volta. Rotineiro, e num mesmo passo, obediente senão a sua contumácia.

Apenas um espectro ambulante!

Que toma de assalto tão somente a si próprio nos enredos de suas escolhas e imaginação - Pobre fantasma que só espanta a si!

De quando em quando para se saciar, de suas fomes, assume-se, forasteiro, deixando às ocultas, em sua mente, seu salvo-conduto, se permite à identidade de pedinte, supondo-se, em terras absolutamente alheias. Furtando-se a idéia de que também, em parte, essas terras já lhe pertencem por haver ali semeado.

Pobre ser, vítima dos próprios caprichos, a marginalizar-se!

Texto agregado el 25-03-2009, y leído por 138 visitantes. (0 votos)


Para escribir comentarios debes ingresar a la Comunidad: Login


[ Privacidad | Términos y Condiciones | Reglamento | Contacto | Equipo | Preguntas Frecuentes | Haz tu aporte! |
]