La Página de los Cuentos
Tu comunidad de cuentos en Internet
[ Ingresa
|
Regístrate ]

Menu
Home
Noticias
Foro
Mesa Azul
Eventos
Enlaces
Temas
Búsqueda

Cuenteros
Locales
Invitados


Inicio / Cuenteros Locales / hibrida / VÍTIMA

 Imprimir  Recomendar
  [C:334332]

Nem mesmo o banho luminoso que saudava o novo ano fora capaz de removê-lo do casulo.

Enclaustrado em suas reminiscências, sem ouvidos de ouvir e olhos pra ver, ensimesmado seguiu...

Tão ressoantes quanto os estrondosos fogos festivos os seus pensamentos incoerentes se escapavam correntes como corrente era o sangue fluindo dos seus pulsos.

Pares e pares de horas passou perambulando pelo ambiente entre lágrimas. Avistava e não era mais visto, tocava e suas sensibilidades nada percebiam, ouvia e não era ouvido. Pelo horror, um grito histérico ecoou de suas entranhas, entranhado-se, ali de retorno.

Enquanto, os holofotes das curiosidades esmiuçavam àquele corpo, morto, vítima da coragem e dos medos, dos sentimentos razoáveis e desequilibrados, das virtudes e pecados; em analises e conclusões falhas, tal qual, àquele falido ser.

Estarrecido, numa quietude débil, esbugalhando-se, ao si observar naqueles estados. Deixando-se, então, a uma contrição a temporal na clausura de uma consciência sobrevivente àquele corpo depauperado pela a expressão dos instantes inconscientes.

Vítima, não obstante, transgressor.

Texto agregado el 29-01-2008, y leído por 101 visitantes. (0 votos)


Para escribir comentarios debes ingresar a la Comunidad: Login


[ Privacidad | Términos y Condiciones | Reglamento | Contacto | Equipo | Preguntas Frecuentes | Haz tu aporte! |
]