La Página de los Cuentos
Tu comunidad de cuentos en Internet
[ Ingresa
|
Regístrate ]

Menu
Home
Noticias
Foro
Mesa Azul
Eventos
Enlaces
Temas
Búsqueda

Cuenteros
Locales
Invitados


Inicio / Cuenteros Locales / hibrida / A FABULOSA MÁQUINA DE CLIQUES.

 Imprimir  Recomendar
  [C:298160]

A - Agente às vezes fica a assim, assim... E aí saudade toma terreno.

F - Foi então que me sentei diante do PC e fui clicando aqui e ali.
A Abri minha caixa de mail, ou seja, de correspondência digital.
B Bastou clicar e eu no passado. Revi - Planos, promessas, sonhos...
U Uma coletânea de escritos recebidos. Melancólica cliquei e pronto!
L Lagrimosa, mas, de volta ao presente. Não demorou muito e...
O Outra vez, como se um imã me atraísse, eu e à fabulosa máquina.
S Sentei e cliquei. Abriu-se, novamente, minha caixa de correios.
A As mensagens mais recentes me reanimaram os ânimos.

M Mais alegre continuei clicando Respondi a vários amigos ao
Á Átila meu amigo de Porto, lhe enviei uma foto do meu dog Átila.
Q Quando clicava no meu álbum de fotos para escolher a do Átila.
U Um montão de fotos foi se abrindo. O Cachorrão! Não, o outro, pô!
I Ia clicando no fechar álbum, porém... Fiquei revendo àquelas fotos.
N Nossa, quanta gente que a muito não vejo! Cliquei o Messenger.
A Alguns amigos por sorte estavam on-line. Batemos um papão.

D De clique em clique fomos nos informando uns dos outros.
E E, assim, entre fofocas e risos muita conversa foi posta em dias.

C Cá pra nós, agente nesse click clic, perde a noção do tempo. Né?
L Lá pelas tantas, ia dando o clique final no MSN. Mas, olê, olê, olá.
I Isso, apareceu a... Ao ler àquele - Oi, tudo bem! Por Deus...!
Q Quanto tempo não nos falávamos. Foi como se lhe ouvisse a voz.
U Uma tremedeira tomou conta de mim. Respondi: Olá, como estás!
E E depois de alguns click clics lhe disse que minhas pernas tremiam.
S Sim, era o óbvio a se esperar, ele se riu! Eu? Claro, me aborreci...


PS. Pouquinho depois triiimmmm. E ao ouvir àquele Olá... Do outro lado da linha e em seguida um pedido glamouroso de desculpas... Juro, que quase morri, fiquei sem voz eu tremia feito, vara-verde. Ele? Lógico, que ele se ria. Quando recobrei a voz, e lhe contei o que me passava. Riu-se muito mais! Porém, dessa vez não me acabrunhei. Conversamos e rimos amistosamente por um bom tempo. E já que era ele quem estava pagando a chamada arrumei assuntos do arco-da-velha. A conversa se alargou tanto que ele pediu para desligar ao que eu retruquei: Só um pouquinho mais, é que tenho ainda muito a te contar (pura lorota). Então, mais umas duas horas de blá, blá, blá... Evidentemente que mi ri quando desliguei Afinal quem ri por último não se ri, gargalha Ah! Ah! Ah!
Protesto...! Obrigada. Não que eu seja má, apenas não gosto que se riam das minhas tremedeiras. Afinal de contas uma tremedeira em pernas feminina é algo que se deve levar em conta ou as contas podem, também, deixar as pernas bambas Se me entendem o trocadilho. :-)

Texto agregado el 25-06-2007, y leído por 134 visitantes. (1 voto)


Para escribir comentarios debes ingresar a la Comunidad: Login


[ Privacidad | Términos y Condiciones | Reglamento | Contacto | Equipo | Preguntas Frecuentes | Haz tu aporte! |
]